sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Rapariga Com Brinco de Pérola


São raras as vezes que vejo primeiro o filme e depois leio o livro do qual foi feita uma adaptação. Se tenho tido algumas boas experiências, em que a história tem uma passagem fiel para o écran (a trilogia "O Senhor dos Anéis" ou o "Chocolate"), também há alguns que se salvam pelas excelentes interpretações, já que a adaptação altera completamente o romance (como sucede com "Papillon"). No caso de "Rapariga com Brinco de Pérola", se bem que já estivesse estreado à bastante tempo, li primeiro o livro e só depois vi o filme.


Esta é a história de Griet (Scarlett Johansson) contada na primeira pessoa que, devido a revezes familiares, se vê obrigada a trabalhar como criada na casa do pintor Vermeer (Colin Firth). Uma belíssima história de amores e desamores, paixão pela arte mas, sobretudo, paixão pela vida.

Se bem que, na minha opinião, alguns dos pormenores do livro não incluídos no filme fossem importantes, a adaptação é bastante fiel e a reconstituição de época excelente (de certeza que o Eduardo Serra (*) ( contribuiu em muito, visualmente, para isso). Nunca como ali percebemos quais as verdadeiras cores do céu!


Li o livro e vi o filme após uma breve visita a Amesterdão. Falhei, na altura, a visita ao museu onde está patente a obra de Vermeer (o Rijksmuseum, tendo optado por visitar o dedicado ao meu favorito, Van Gogh) e embora a cidade onde se passa a história não seja a mesma (Delft), senti-me de novo transportada para os canais que povoam todo um país, bem como para a sua arquitectura, em que todos os espaços são aproveitados ao máximo.

(*) Nunca é demais recordar que “Rapariga com Brinco de Pérola” ofereceu a Eduardo Serra a segunda nomeação para o Oscar da Melhor Fotografia, tendo a primeira sido em 1997 com "The Wings of Dove" .
Eduardo Serra, Director de Fotografia
Notas:
Realizador: Peter Webber / Origem: EUA/ING/LUX / Ano: 2003 / Duração: 100 min
Actores: Colin Firth, Scarlett Johansson, Tom Wilkinson, Judy Parfitt

9 comentários:

  1. Nõa vi o filme e também não li o livro, mas pelo que percebi consegue ser uma adaptação muito bem feita. Há sempre detalhes que escapam, mas é normal...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Vale a pena, tanto um como o outro.

      Eliminar
  2. Tambem nem li o livro, nem vi o filme. Fiquei com curiosidade de o ver Paula porque tambem gosto imenso da Holanda e dos seus canais e arquitectura.
    Nao sabia que um Portugues tinha sido nomeado para um Oscar neste filme, interessante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! O Eduardo Serra é um fantástico Director de Fotografia, que faz de tudo um pouco. Uma das últimas vezes que vi o nome dele no genérico de um filme foi com "Os Mercenários". Na "Rapariga..." consegue recriar o ambiente da época e nunca o céu nos pareceu tão belo!

      Eliminar
  3. Este filme magnifico que nos retrata a vida e obra de Vermeer deve muito da sua Arte de encantar o espectador à inesquecível fotografia de Eduardo Serra e depois à excelente direcção de actores e respectivo argumento.
    Um filme a rever uma noite destas!
    Muito boa tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Sem dúvida que é um filme a rever :-)

      Eliminar
  4. Não li o livro (ainda), mas gostei bastante do filme! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Ambos valem a pena, por isso se o livro lhe passar pelas mãos, não perca a oportunidade!

      Eliminar
  5. Vi o filme e gostei muito. Tenho o livro, mas ainda não o li
    (foi-me oferecido por uma holandesa).

    ResponderEliminar