quinta-feira, 20 de setembro de 2018

"A Três Vinténs" - Biblioteca Nacional

Um dos sítios que gostamos de visitar é a Biblioteca Nacional, pelas interessantes exposições que são feitas por lá (claro que os painéis de entrada e o saber que estamos perto de tantos dos nossos "amigos livros" também nos encanta).

No princípio de Julho, em férias, passámos por lá para ver a exposição "A Três Vinténs - 100 anos de fascículos de aventuras em Portugal".


Os fascículos de aventuras a três vinténs são lançados no fim do séc XIX / começo do século XX, pela Europa (após enorme sucesso nos Estados Unidos), chegando também a Portugal e de acordo com a apresentação no site da Biblioteca Nacional "em Portugal alguns editores lançassem no mercado algumas dessas séries inicialmente ao preço de 3 vinténs (60 reis) por fascículo, acabando estes fascículos de aventuras por ficarem conhecidos como «literatura a 3 vinténs»".

Eis um dos fascículos que, na exposição, me chamou atenção, por serem as "Aventuras Extraordinárias do Arsénio Lupin - Arsénio Lupin contra Herlock Sholmes", de Maurice Leblanc. Estou neste momento a ler os contos completos de Arséne Lupin, de Maurice Blanc e fiquei a saber que o autor pretendia utilizar o "Sherlock Holmes, himself", mas a oposição legal de Conan Doyle tornaram tal impossível.


Outra chamada de atenção (e por causa das memórias), tem a ver com os livros lidos em miúda:


Não garanto ter lido este, mas li tantos desta colecção!

Passem por lá, de certeza que encontram sempre alguma exposição interessante!

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Mais Lagaffe...


O Gaston está sempre pronto a dar uma ajuda, quando a inspiração está um bocadito adormecida para posts. Dele já falei aqui e aqui e depois de uma visita à exposição que esteve na Biblioteca do Centro Pompidou, em 2017, sobre esta personagem de BD, criada por Franquin.


Fotos PN Lima

sábado, 15 de setembro de 2018

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Bette Davis

À muitos, muitos anos, num século que já passou, circulava na Rádio e na TV uma canção de Kim Carnes chamada "Bette Davis Eyes". Mesmo para a maioria da geração que a ouvia na altura era apenas uma canção gira, sobre uma qualquer rapariga, parecida com alguém.

Para mim era uma canção sobre uma das minhas actrizes favoritas. Para tal terá influenciado o facto dos meus pais gostarem de cinema desde sempre e um dos primeiros filmes que me lembro de ver com Bette Davis foi "Jezebel" / "Jezebel, a Insubmissa" de 1938, realizado por William Wyler. 


Recentemente, graças às maravilhas da Internet, tive a oportunidade de ver “A Estranha Passageira” / “Now, Voyager”, de Irving Rapper (falado nos Manuscritos da Galáxia, aqui). Mais uma vez Bette Davis dá uma lição de interpretação. Vejam qualquer um dos filmes em que ela entra e, mesmo que não goste da história, terá a oportunidade de apreciar uma das maiores actrizes de sempre (e uma das minhas favoritas).


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

1968 - Maio...

"Mesmo se nos prometessem o paraíso, nós recusávamos.
Porque nós queremos assumir o comando."
Daniel Cohn-Bendit
(trad. livre PNLima) 
P.S. Obrigada MR

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Protestos... (Dezembro 1981)

Seja "rentrée", seja "silly season", seja o que fôr, os protestos dos professores fazem-se ouvir sempre, a cada começo de ano, fim de ano, meio do ano. Sem querer tomar partido, quem vê as notícias (e se calhar a forma como são repetidas não ajuda) fica um bocadito cansado de tanto protesto.

A ida à arrecadação proporcionou-me outra preciosidade, que tem a ver com o que disse no parágrafo anterior: no ano de 1981, andava eu no 9º ano (tendo a Escola Secundária de Linda-a-Velha aberto dois anos antes), no final do 1º trimestre, foi este o protesto de alguns dos meus professores (não me lembrava, de todo):

(frente)

(verso)

"e) Os professores das disciplinas de: História, Geografia, Fisico-Química, Matemática, Desenho, Educação Física, Práticas Administrativas declaram que não registaram as classificações e informações de protesto contra a degradação progressiva da condições de trabalho nas escolas, de luta pela satisfação das suas reivindicações e da exigência do respeito pela sua dignidade profissional e pela qualidade de ensino."