quarta-feira, 6 de abril de 2016

"Número Zero" - Umberto Eco**


Acabei de ler no domingo o "Número Zero" do Umberto Eco. Este é um dos autores que admiro e aconselho vivamente a leitura deste e de outros livros do mesmo.


Não resisto a partilhar uma citação do livro escrito em 2015, mas que a acção se passa em 1992:
"«A questão dos telemóveis», rebatera Simei, «não pode durar. Primeiro, são caríssimos e só poucos têm meios para os comprar. Segundo, as pessoas irão descobrir em breve que não é indispensável telefonar a toda a gente a todo o momento, sofrerão com a perda da conversação privada, cara a cara, e no fim do mês vão aperceber-se de que a conta atingiu cumes insustentáveis. É uma moda destinada a esgotar-se no espaço de um ano, no máximo, dois. Por agora, os telemóveis são úteis só para os adúlteros, para poderem terem relações sem usar o telefone de casa, e talvez para os canalizadores, que podem ser chamados a todo o momento enquanto andam por fora.» (...) «Não estou assim tão segura», dissera Maia, «é como o pret-a-porter»"
in "Número Zero", Umberto Eco

8 comentários:

  1. Umberto Eco revelou-se sempre um magnifico observador do mundo que nos rodeia, e através dos séculos, como ficou bem demonstrado nos livros que nos deixou.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Curiosamente também deixei essa citação apontada :) incrível, grande livro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que se lê num instante! Mas que não deixa quem o lê indiferente! A citação dos tlm marcou-me pelo que vejo hoje em dia! Obrigada pela visita.

      Eliminar
  3. Gostei muito da citação referida, não li o livro!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valerá a pena pô-lo nos a ler rapidamente. Embora a história se passe me 1992, é perfeitamente actual, ou não fosse ele escrito por um autor fabuloso! Bj

      Eliminar
  4. Já li dois livros deste autor e gostei da forma de escrever. Também recomendo.

    ResponderEliminar