domingo, 9 de dezembro de 2018

sábado, 8 de dezembro de 2018

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Os pinguins!

Associa-se sempre um pinguim ao Inverno e ao frio, mas são bem engraçados também para animarem umas fraldas, prontas a seguirem para casa de uns gémeos tão esperados, para os lados da Bélgica.

Revista "Enjoy Cross Stitch at Christmas
Designer - Durene Jones

sábado, 1 de dezembro de 2018

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Ainda Castelo Branco... Museu Cargaleiro #1

Da lista de locais de visita obrigatória em Castelo Branco, não nos podemos esquecer do Museu/da Fundação Cargaleiro. Um dos artistas favoritos do rapaz cá de casa, sendo essa uma das razões da visita a Castelo Branco (se é que passear precisa de ter "razão"), eu confesso que conhecia pouco da obra.
Com vários pisos que nos encantam, pensados pelo próprio Manuel Cargaleiro, destaco para já o quadro pelo qual fiquei mais encantada:

"Vou inventar uma flor
Para pôr no teu cabelo
Uma flor com asas de lume
Donde em vez de perfume
Saiam sons de violoncelo"
José Gomes Ferreira
Não percam, vale mesmo a pena!

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Um cartão de Parabéns..


Gosto de escolher os motivos que bordo a pensar em quem os vai receber e assim foi com este cartão de Parabéns. Por causa dos CTT e seus actuais atrasos, não chegou na data devida. Mas a destinatária gostou 😊

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #13... Ainda Castelo Branco!

Há dois sítios que não pode falhar, em visita a Castelo Branco. Eles são o Centro de Interpretação do Bordado e o Museu da Seda. Ambos estão ligados à belíssima arte que é o "Bordado de Castelo Branco", que tem por base o linho e a seda. Linho é o tecido no qual o fio de seda é trabalhado para fazer as mais belas peças bordadas.


Mais uma vez, o acolhimento em ambos os locais foi excelente, mas destaco especialmente o Museu da Seda, na qual tivémos o prazer de ter a companhia do Dr. Manuel Barreto (director do Museu) durante a visita.

"Tutelado pela Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Castelo Branco, o Museu da Seda foi criado para dar a conhecer ao grande público a História da produção de Seda em Portugal" - Site da Câmara Municipal de Castelo Branco

Criação dos casulos dos bichos de seda em "árvores" artificiais
(no Museu da Seda)
A "Árvore da Vida"
(no Museu da Seda)
Colcha em Bordado de Castelo Branco.
Podem custar 30.000€!

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Novembro, mês de memórias #12... o Rato Mickey

Domingo, 18 de Novembro, o Rato Mickey fez uns belíssimos 90 anos. Esta personagem da Disney faz já parte da nossa memória colectiva.

Foto feita no Museu Cosme Damião, no "corredor da História"!

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #11... São Bodas de Marfim!

(Na foto o ramo do dia e o vestido, feito pela minha mãe!)

Dizem os entendidos da etiqueta que o nosso 14º Aniversário corresponde a Bodas de Marfim!

Verdade seja dita que adoramos os elefantes, animais de grande porte e excelente memória.

Celebramos um novo Aniversário de um percurso a dois, sempre com alegria!



sábado, 17 de novembro de 2018

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Novembro, mês de memórias #10... Castelo Branco

Mais uma vez as "belas" saíram do título deste meu post de Novembro. Ainda da "Casa da Memória Judaica", um dos seus mais ilustres albicastrenses, Amato Lusitano:



quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Novembro, mês de memórias #9... Castelo Branco

Reparem que tirei do título "belas", porque a visita à "Casa da Memória Judaica" confronta-nos com a nossa memória histórica e com momentos que de belo nada têm. Foi um dos locais que gostámos de visitar e no qual tivemos o privilégio de uma explicação detalhada sobre todos os elementos que fazem parte da história e legado judaico na cidade de Castelo Branco (pena tenho de não ter fixado o nome de quem nos proporcionou esta explicação, mas fica a pessoa na nossa memória).


Painel com o nome de todas as vítimas da Inquisição
em Castelo Branco.
Auto de Fé a uma das inúmeras vítimas da inquisição


quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #8... Castelo Branco

As portas, tantas, com cores e formas diferentes, algumas com memória histórica de séculos passados devido ao seu formato peculiar. Esta porta pela idade, uso e maçaneta 😊:




segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #6... Castelo Branco

Vão ser vários por aqui os posts dedicados a Castelo Branco. Esta cidade vai-nos ficar na memória para sempre como uma que vale a pena visitar, que é fácil de percorrer e cheia de gente simpática, a começar pela Isabel, do blog "Palavras Daqui e Dali", que nos recebeu de braços abertos e nos preparou, com o seu acolhimento, para os agradáveis dias que por lá passámos. Mais fotos que palavras, comecemos pelo Parque da Cidade:

A entrada, mesmo em frente ao Jardim do Paço Episcopal!

Tantas foram as fontes e repuxos que nos deliciaram!

domingo, 11 de novembro de 2018

Bom S. Martinho...


Carlos do Carmo - "O Homem das Castanhas"
(colaboração: Júlio Pereira)

(compositores: José Carlos Ary dos Santos / Paulo de Carvalho)


sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #6... Foto Nunes

Cá por casa, muitas das fotos antigas são da Foto Nunes, como é exemplo esta da minha avó Maria de São João:



Decidi procurar alguma informação sobre a esta casa de fotografias e eis um pouco da sua história:

"A Foto Nunes era uma casa fotográfica com sede em Lisboa, na Rua da Junqueira, 318. Esta casa era especializada em retratos para passes, bilhetes de identidade, cartões sindicais e reportagens fotográficas de casamentos e baptizados. Abriu as suas portas ao público no dia 12 de Julho de 1908 (Domingo), tendo efectuado 3 clichés, e encerrou a sua actividade no dia 31 de Julho de 1986.

Esta casa fotográfica foi gerida por Carlos das Neves Nunes e por Idalino R. Gaivoto (que entrou para a Foto Nunes, como impressor, no dia 13 de Novembro de 1924)."

Fonte: Arquivo Nacional Torre do Tombo

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #5

Todos temos uma foto de grupo da escola, não é verdade?

Eu tenho várias, no meu baú de memórias, todas dos anos 40, nas  quais constam os meus tios e a minha mãe. Eis uma, de 1944, na Escola Primária de Pedrouços. A minha mãe está na 3ª fila, a primeira do lado esquerdo:

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #4

A minha bisavó, Júlia:

Dela apenas sei o nome e calculo que fosse doméstica. Sei que a a bisavó Júlia e o bisavô Manuel tiveram mais filhos, para além da minha avó Maria do São João, mas não sei exactamente quantos. Guardo na memória a história que a minha mãe contava de um tio Ofre que conduzia eléctricos e que, corpulento que era, ocupava toda a frente do espaço do eléctrico que conduzia.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #3

As bonecas de recortar:



Qual foi a menina que, da minha geração ou mais velha, não brincou com bonecas de recortar?
Outra memória que a exposição da "Agência Portuguesa de Revistas" me proporcionou!
Não se esqueçam, a ver até 28 de Dezembro de 2018, na Biblioteca Nacional.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #2

O meu bisavô, Manuel Leitão:



Não tendo conhecido bisavós, o meu bisavô Manuel Leitão sempre foi uma figura presente, pelas fotografias e cartão da Associação de que fazia parte. Reza a lenda familiar que ele era Mestre de barcos (será que o cartão se refere a essa posição??? A investigar!) Revejo-me na sua figura, bem como os netos, ou seja a a minha mãe e os irmãos (eram 6).

sábado, 3 de novembro de 2018

Para a Margarida Elias...

Muitos parabéns!

Columbano Bordalo Pinheiro - "Chávena de Chá"

(O segmento "Sempre na melhor companhia..." seguirá a sua programação habitual no próximo sábado 😊)

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Novembro, mês de belas memórias #1

Edições da Agênca Portuguesa de Revistas

Se estas edições lhe dizem alguma coisa, é porque a Agência Portuguesa de Revistas fez parte da sua vida, nos livros que comprou, ou que leu; eu li "Nossa Senhora de Paris" e "Os Fidalgos da Casa Mourisca". Graças a uma exposição patente na Biblioteca Nacional poderá recordar muitos dos livros, revistas, cadernetas e até bonecas de recortar que fizeram parte da sua e minha infância e juventude, que esta editora colocou à disposição dos seus leitores.

A exposição está na Biblioteca Nacional até 28 de Dezembro (e é grátis!).

sábado, 27 de outubro de 2018

Amanhã, muda a hora...

não se esqueça!

(com a devida vénia a Philippe Geluck e ao seu Chat)

Dia 28 de Outubro, quando forem 2 horas da manhã, atrase o seu relógio 60 minutos 😊 (pode fazê-lo antes, até o pode fazer depois, mas aproveite bem esta hora, mais que não seja durma mais uma horita)! 

Sempre na melhor companhia.... #13



Julie Andrews - "Wouldn't It Be Loverly"
Ed Sullivan Show 1961 
(Compositores: Alan Jay Lerner and Frederick Loewe)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018